09 dezembro 2007

VIDEOVIGILÂNCIA: OS PRIMEIROS PASSOS

As questões da segurança dominam as preocupações de moradores, comerciantes e frequentadores do Bairro Alto. Especialmente agora que as esquinas são invadidas por grupos vendendo drogas, falsas ou verdadeiras pouco interessa. O que é indesmentível é que somos obrigados a conviver com o incitamento ao uso de estupefacientes, apesar de isso ser crime punível com pena de prisão.

Tendo como mote esta e outras questões, a direcção da ACBA, representada por Belino Costa, Vítor Castro, João Gonzalez, Helena Aires, Maria João Bernardo e João Pedro, esteve, no passado dia 5, reunida com os Agentes Fonte e Nery da 3ª Esquadra (na foto). A eles se deve o nascimento de um projecto visando a instalação de um sistema de videovigilância no Bairro Alto e era necessário ouvi-los, trocar ideias, discutir o assunto. Dávamos assim resposta a um pedido expresso, feito em reunião pública realizada no Clube Rio de Janeiro, no passado Verão.
Em assembleia muito concorrida, tendo na mesa o subchefe Amaral e os agentes Batista, Ferreira, Fonte e Nery da PSP, acompanhados pelos três elementos do executivo da Junta de Freguesia da Encarnação liderado por Alexandra Figueira, foi lançado um repto à Associação de Comerciantes para que reactivasse a actividade a fim de poder dar apoio e incrementar um projecto de videovigilância para o Bairro Alto.
Tendo em conta essa reunião e tudo o que ali se disse, faria todo o sentido que a Junta de Freguesia também estivesse presente neste segundo encontro. A direcção da ACBA tudo fez para que tal tivesse acontecido, mas depois de esperar, durante três semanas, que a Junta de Freguesia marcasse a reunião, depois de verificar que a Sra. Presidente não atende o telefone nem responde às mensagens que recebe, concluiu que não podia continuar à espera, até por ser prática comum em Portugal mudar de discurso e alterar as prioridades consoante se está no poder ou na oposição…

VIDEOVIGILÂNCIA AUTORIZADA NO PORTO

Um dia depois da reunião do passado dia 5 com os Agentes Fonte e Nery, e por sugestão destes, uma representação da ACBA esteve reunida com uma empresa especializada nas questões de videovigilância, tendo ficado agendado um novo encontro para o próximo mês de Janeiro.
Com as ideias e informações daqueles que conhecem bem o Bairro e a colaboração de técnicos especializados começaremos por fazer o levantamento de todas as questões que permitirão elaborar e apresentar um projecto de videovigilância para o Bairro Alto. Justifica-se dar prioridade absoluta a este projecto, até porque a Comissão Nacional de Protecção de Dados (CNDP) aprovou o projecto de videovigilância para a Ribeira, no Porto, como noticia, hoje, o “Diário de Notícias”:

“O Ministério da Administração Interna vai emitir amanhã o despacho que autoriza a instalação na ribeira do Porto de um sistema de videovigilância. Para o presidente da Associação de Bares e Discotecas da Zona Histórica do Porto, a notícia "foi uma boa prenda de Natal". António Fonseca comentava, assim, a aprovação do sistema de videovigilância, um projecto inédito que, antevê, deverá ser extensivo a outras áreas da cidade e do País.
Após lamentar o facto do projecto ter estado oito meses na Secretaria de Estado da Administração Interna, António Fonseca elogiou a celeridade da Comissão Nacional de Protecção de Dados "que se pronunciou em apenas um mês".A iniciativa, esclareceu, é abrangente e favorecerá moradores e comerciantes, podendo abrir caminho a projectos análogos. Até porque, sublinhou o presidente da Associação de Bares e Discotecas da Zona Histórica do Porto, a videovigilância "vai desencorajar o crime”.

5 comentários:

  1. Força Associação!!! Já é hora de reagirmos a criminalidade impune no nosso Bairro!! A juntar a peste dos "dealers" há uma nova vaga com cada vez mais expressão de vandalismo: Os grafiteiros... Com toda certeza a videovigilância contribuirá para afastar essa gentinha do Bairro!!!
    JC

    ResponderEliminar
  2. Uma videovigilância generalizada em todo o bairro não me parece bom. Atenta bastante contra a liberdade de cada um. E uma ida ao Bairro Alto é sempre um exercício de liberdade... Comercialmente, também não sei se uma videovigilância generalizada será uma coisa boa. Claro que nalguns sítios seleccionados e desde que a videovigilância seja apenas video sem audio, enfim, talvez.

    ResponderEliminar
  3. António P.11/12/07 16:27

    Se depois dos ciganos chegar a "segurança privada" o Bairro Alto corre o risco de ficar nas mãos das máfias.( Vejam o que está a acontecer no Porto) A videovigilância, sob controle policial e com regras definidas ,pode ser o caminho para um Bairro mais são e mais seguro.O pior será continurmos como até aqui, cada um entregue à sua sorte. É tempo da CML fazer qualquer coisa, agir, decidir. Cada vez há mais gente no Bairro Alto, cada vez é mais urgente um plano de segurança com pés e cabeça.O Bairro Alto é um dos mais poderosos símbolos de Lisboa.

    ResponderEliminar
  4. Atenção ACBA!!! Porto, Coimbra e Aveiro já lançaram na Comunicação social o projecto de video vigilância! Não estará na hora da ACBA lançar também o projecto??! É preciso falar! Ser notícia! Pé na tábua!!!

    ResponderEliminar
  5. Só peca pela demora. Mas não basta ter o sistema, é necessária vontade policial e política em ir atrás dos prevaricadores e puni-los. E como quem não deve não teme, não há razão para o sistema não estar generalizado e sem qualquer restrição.

    ResponderEliminar