10 dezembro 2010

15 DE DEZEMBRO: DIA DO BAIRRO ALTO

Corria o dia 15 de Dezembro de 1513 quando Lopo de Atouguia acordou com os aforadores Bartolomeu de Andrade e sua mulher, Francisca   Cordovil, o sub aforamento das herdades em talhões para a construção de casas.

“Era o tempo fresco da Índia  e do Brasil; Lisboa alastrava, procurava chãos, queria mais ar." Anotou Norberto Araújo no livro VI das suas “Peregrinações”. Começava a nascer aquele que viria a ter o nome de Bairro Alto.


1ª fase de urbanização

Para assinalar a efeméride, a Câmara Municipal de Lisboa, a Associação de Comerciantes do Bairro Alto, as Juntas de Freguesia da Encarnação e de Santa Catarina associam-se numa celebração de cariz cultural e recreativa.

Programa de actividades:

  • 10h horas – Mostra Bibliográfica - “O Bairro Alto no Fundo Histórico da Hemeroteca Municipal de Lisboa”. Local: Hemeroteca Municipal (Sala do Espelho).

  • 11 horas – Percurso histórico “Bairro Alto – Capital do Jornalismo Português”. Inscrições: 213 246 290.

  • 12 horas 30 minutos – Almoço das Gentes do Bairro no Café Luso

  • 15 horas – Percursos Históricos: Da Escrita à Política “Ribeiro de Carvalho (1880-1942)” | As Ruas têm nome – Ler a Toponímia. Inscrições: 213 246 290.

  • Visita de Estudo para escolas: “Ao Encontro da Hemeroteca de Lisboa” com visita à exposição “O Bairro Alto no Fundo Histórico da Hemeroteca”. Inscrições: 213 246 290.

  • 18h – Inauguração de mostra fotográfica “O Bairro Alto de Ontem e de Hoje” com fotografias do Bairro Alto do início do século XX em contraste com a actualidade. Espaço Juventude, Rua da Atalaia 157.

  • 18h30 – Bairro Conferência “Bairro Alto: Capital do jornalismo na I República” por Álvaro Costa de Matos. Local: Hemeroteca Municipal (Sala do Espelho).

  • 20h-24h00 – A orquestra Nema Problema anima as ruas do Bairro.

06 dezembro 2010

LOJAS DE CONVENIÊNCIA FUNCIONAM COMO BARES

por Agência Lusa

Cada vez mais jovens trocam os bares do Bairro Alto, em Lisboa, por lojas de conveniência ou supermercados. Não é uma moda, nem um movimento semelhante ao botellón espanhol, é apenas mais barato.
Cristina Brandão, uma estudante lisboeta de 22 anos, dirige-se a uma loja de conveniência em pleno Bairro Alto, em Lisboa com o objetivo de comprar uma garrafa de um litro de cerveja para partilhar com uma amiga.
Gasta 1,2 euros e com a garrafa na mão, "fresquinha", volta para a Travessa da Espera onde se junta aos amigos para partilhar a bebida.
"As lojas de conveniência do Bairro e junto ao Largo Camões funcionam como qualquer outro bar do Bairro: nós entramos, compramos a bebida e voltamos para a rua. Só que aqui é mais barato", diz a estudante.
Apesar de a loja não ter "ambiente", isso não é problema porque, "no Bairro toda a gente fica na rua".
Não acha que é uma moda, nem considera que o faça, "pelo menos conscientemente", por causa da crise, mas admite que vê cada vez mais jovens a trocar os bares pelas lojas de conveniência no Bairro alto.
"Não podemos dizer que é um movimento, nem que seja influenciado pelo botellón espanhol, porque não há grandes aglomerações como acontece por lá", afirma.
O que acontece, segundo a experiência da notívaga de 22 anos, varia de grupo para grupo e entre amigos.
"Num grupo há quem compre nos bares e há quem compre nas lojas, traga de casa ou encha uma garrafa num restaurante com a bebida à descrição", conta.
Junto à loja de conveniência, em qualquer noite do Bairro Alto, os grupos de amigos com garrafas de litro de cerveja e outras bebidas ultrapassam os que continuam a preferir os bares.
No entanto, nas ruas mais agitadas do pólo noturno da capital portuguesa, como a Rua do Norte ou a Rua da Atalaia, os copos continuam a ser os preferidos dos notívagos.
Já no Largo Camões, ponto de espera de amigos e porta de entrada no Bairro, as garrafas de litro, os sacos de plástico e os grupos sentados junto à estátua do famoso poeta português, aproximam mais os jovens portugueses do botellón espanhol.
Filipe Cação, 20 anos, e Tiago Antunes, de 19, compraram "três ´litrosas´ [litros] de amêndoa amarga, vodka e whiskey" e juntaram-se ao grupo de colegas de curso da Faculdade de Ciências e Tecnologia de Lisboa, a "dar vazão" ao que compraram previamente num supermercado, antes de "começar a noite no Bairro".
"Fazemos isto muitas vezes, é muito mais barato. As bebidas vêm frescas e, como somos amigos, já não há aquele preconceito de beber pela garrafa", disse Filipe.
Para Tiago "não tem nada a ver com o botellón espanhol", rematando, entre risos, que o grupo "nem gosta de espanhóis".
"Agora a sério, isto é só mesmo por ser mais barato: um copo custa um euro, uma garrafa no máximo custa 1,5 euro. É só mesmo isso", rematou.
Já João Veloso, de 19 anos, ao início da noite já tinha "despachado uma ´litrosa´" enquanto esperava pelos amigos no Largo Camões.
Fã assumido das lojas de conveniência, admite que "opta cada vez mais por isso do que por bares", mas "continua a ir a bares para outras bebidas, como as caipirinhas".
"Isto depende do gosto de cada um. Tem vantagens, que é ser mais barato, e não afeta a nossa noite, porque estamos sempre todos na rua. E isso é que é bom no Bairro, cada um faz como quer e vai onde quer: encontramo-nos todos cá fora", sorriu.
O botellón, o termo tem origem na palavra garrafa em espanhol, consiste em aglomerados de pessoas, essencialmente jovens, que se reúnem nas ruas à noite para ouvir música e consumir bebidas alcoólicas.

03 dezembro 2010

PROJECTO + SKILLZ: MAIS CAPAZ E SOLIDÁRIO



Em pleno Bairro Alto, na Rua do Teixeira nº 13, desenvolve-se um projecto de apoio social para jovens carenciados designado “+ Skillz”.  Na antiga escola primária do bairro, desde Janeiro do corrente  ano, que o projecto “+ SKills” tem vindo a  apoiar jovens carenciados, envolvendo-os em actividades que promovem a aprendizagem e o desenvolvimento das suas capacidades.

Mais de 150 jovens têm participado em actividades como: Curso de Barmen, curso de DJ, formação de informática, empreendedorismo, serigrafia, apoio escolar, etc. Todas estas actividades são gratuitas e estão abertas à  participação da comunidade em geral.

O “+ Skillz” é um projecto do Programa Escolhas realizado em parceria com a Associação Mais Cidadania, Instituto Português da Juventude, Associação Entremundos, Liceu Passos Manuel e Junta de Freguesia da Santa Catarina, entre outros. Conta também com o apoio da Associação de Comerciantes do Bairro Alto.

Para poder dar continuidade a este importante projecto temos de angariar 2500 Euros junto da comunidade.  Esta verba é essencial para complementar os apoios  institucionais, manifestamente insuficientes ao desenvolvimento da acção e continuidade dos projectos em curso.

Ajude-nos. Solicitamos o seu apoio e colaboração que se poderá materializar com uma contribuição monetária, que será dedutível no IRS, mediante preenchimento da Declaração Modelo nº 25 das Finanças.

Dê o seu contributo. Apoie os jovens do Bairro Alto!

+ Skillz
Rua do Teixeira nº 13
1200-459  LISBOA
2ª a 6ª feira: 15h às 20 h  Sábados: 17 h às 22h.
Telf: 21 193 7976
Facebook: Mais Skillz

01 dezembro 2010

PINTURA NA TRAVESSA DA QUEIMADA


“Where no words  are needed” é o título da exposição de pintura de Eva Mark Dias, a ser inaugurada na próxima sexta-feira, dia 3 de Dezembro, pelas 22h00, na Travessa da Queimada, n.º 26.Com apoio do grupo Somafre, a exposição poderá ser visitada entre as 15h00 e as 20h00, durante a semana, e entre as 12h00 e as 20h00 ao sábado.

6.ª feira, 3 de Dezembro 2010, às h22.00
Galeria de Arte Contemporânea - Travessa de Queimada 26, Bairro Alto,lisboa

30 novembro 2010

CONCURSOS PARA QUIOSQUES MUNICIPAIS


Está a decorrer o concurso público para concessão do direito de exploração de um quiosque municipal destinado a estabelecimento de bebidas com área de 66 m2 de esplanada, no Parque Bensaúde (à Rua Maestro Jaime Silva), na freguesia de São Domingos de Benfica. A concessão do quiosque, modelo contemporâneo, e que dispõe de casa de banho, será por um período de 5 anos, prorrogável até ao limite máximo de 8 anos. O valor base da proposta (preço mínimo mensal) é de 150,00 €, não incluindo o IVA.
Os documentos que constituem a proposta terão de ser apresentados, através da plataforma electrónica (www.bizgov.pt), até às 17.00 horas do dia 21 de Janeiro de 2011.
 Está também aberto o concurso público para a concessão da exploração de um estabelecimento de bebidas (cafetaria) com área de esplanada, no Parque do Vale Grande (Parque Oeste). A concessão será válida pelo período de 10 anos, prorrogável até ao limite máximo de 16 anos, pelo valor base da proposta (preço mínimo mensal) de 300 € + IVA.
 O estabelecimento a concessionar é composto por uma área destinada aos utentes e zona de balcão com 27,77m2, e uma área de serviço, que compreende a zona de armazém com 6,80m2 e um vestiário com 3,80m2. Área máxima de esplanada de 116 m2. Apresentação de propostas em www.bizgov.pt até 14 de Dezembro de 2010.
 Mais informações estão disponíveis através de plataforma electrónica em www.bizgov.pt.
Atalhos directos para os concursos:
-  Quiosque da Quinta Bensaúde (Apresentação de propostas até 21 de Janeiro de 2011)
– Cafetaria Parque Oeste (Apresentação de propostas até 14 de Dezembro de 2010)

 O Gabinete do Vereador José Sá Fernandes
30 de Novembro de 2010

26 novembro 2010

RESTAURANTE SALGADEIRAS: CONFORTO E BOM GOSTO


Localizado no Bairro Alto, perto do Largo de Camões e na rua que lhe dá o nome, o restaurante as Salgadeiras é uma das mais recentes novidades da oferta gastronómica de Lisboa. Implantado numa antiga padaria, o espaço foi totalmente remodelado, embora mantenha a antiga traça original o que lhe confere um ambiente tradicional. A excelente harmonia entre a arquitectura tradicional e uma decoração sóbria mas sofisticada, ressalta à vista logo que se entra no restaurante as Salgadeiras.

As paredes em pedra, os arcos originais, os tijolos de burro, enquadrados por uma luminosidade bem estudada, conferem aos diversos recantos deste restaurante uma atmosfera de conforto e de extremo bom gosto.

Dos diversos pormenores a remeter para a antiguidade, salienta-se a recuperação do antigo forno de padaria numa agradável garrafeira e num espaço em que se apresentam as sobremesas e se podem efectuar degustações. À entrada, surge um pequeno bar, ideal para um aperitivo e dois dedos de conversa.

Rua das Salgadeiras, 18 - 1200-396 Lisboa (Bairro Alto)

TELEFONE: 21 342 11 57



Encerra 2ª Feira