06 novembro 2007

EM DEFESA DA VIDEOVIGILÂNCIA

Uma representação da ACBA, constituída por Belino Costa, João Gonzalez e Raul Dinis, esteve ontem reunida com o executivo da Junta de Freguesia da Encarnação, liderado por Maria Alexandre Figueira. As questões relativas à recolha do lixo e à (in)segurança dominaram a ordem de trabalhos.
Tendo-se verificado existir alguma confusão quanto aos horários da recolha dos lixos concluiu-se que será útil mandar imprimir e divulgar um folheto com os horários de recolha actualmente em vigor. A Associação comprometeu-se a divulgar junto dos comerciantes esses horários, sensibilizando-os ainda para os procedimentos mais adequados à separação do vidro e papel.
As questões envolvendo a insegurança do bairro que semanalmente é visitado por largos milhares de pessoas e a consequente necessidade de um policiamento eficaz estiveram depois em debate, no que houve convergência de pontos de vista, nomeadamente quanto à possibilidade de instalação de um sistema de videovigilância. Neste sentido ACBA e e o executivo da Junta de Freguesia da Encarnação decidiram juntar esforços, estando prevista uma futura reunião com as autoridades policiais no sentido de se estudar e debater a viabilidade de um sistema de videovigilância, que ajude a tornar o Bairro Alto numa zona mais segura para todos, habitantes, comerciantes e visitantes.
Aqui iremos dando conta da evolução desta e de outras iniciativas.

2 comentários:

  1. É mesmo urgente fazer algo pela segurança do Bairro! Cada vez se ouve mais falar de pessoas que deixaram de frequentar o Bairro devido ao clima inseguro criado pelos dealers...

    ResponderEliminar
  2. BA Fã 984/12/07 11:45

    Já não é sem tempo de se começar a falar seriamente sobre a video-vigilância no BA. É uma medida que deu excelentes resultados noutras cidades como Londres e que em nenhum momento coloca em causa a liberdade daqueles que estão de boa fé. Quando usada correctamente pelas autoridades apenas os prevaricadores são "incomodádos". Mas não basta ter o sistema, é necessária vontade policial e política em ir atrás dos prevaricadores. Em Londres quem infringe é identificado e posteriormente notificado do seu crime se for menor ou vão buscá-los a casa se for um crime significativo.
    Com isto talvez não equacione derixar de viver no teoricamente fantástico BA.

    ResponderEliminar